“O erro é a oportunidade de começar de novo,
só que mais sábio.”

Henry Ford.

RESUMO:
Todos e quaisquer relacionamentos estão submetidos a determinadas condicionantes, nem sempre percebidos.
Como você e a sua empresa agem nos seus relacionamentos?

Todos os relacionamentos podem ser analisados de uma maneira bem simples, tão simples e geral que podemos colocar os relacionamentos:

– de amizade;
– afetivos;
– comerciais (empresa-cliente e empresa-empresa),

sob a mesma ótica, a ótica do:

– “O que eu ganho com isso?”




Sob este aspecto podemos sempre imaginar uma aparente polarização, pois relacionamento sempre envolve sempre mais de uma pessoa:

– “O que eu ganho com isso?”
– “O que o outro ganha com isso?”

Dentro do enfoque dado por estas duas perguntas podemos traçar a figura abaixo que nos mostra, de forma clara, os 4 possíveis conjuntos de respostas:

Matriz Relacionamento EU X O Outro

Relação Ganha-Ganha:

Esta é a relação mais buscada, mas que exige pessoas empáticas e maduras o suficiente para buscar consenso, onde ambos os lados saiam satisfeitos.

Esta relação ocorre quando há negociações produtivas, e as soluções acordadas são de soma ampliada, que é uma solução melhor por que deixa os dois lados confortáveis, comprometidos e confiantes, pois sabedores de que construíram um resultado comum que é melhor do que a simples soma do que cada um desejava em separado.

O interessante é que, neste tipo de relação, só há um lado vencedor, que é o lado que o Eu e Outro construíram em conjunto, e por assim ser, ambos os lados têm também a sua auto-estima fortalecida. 

Este conjunto de características positivas somadas faz com que ambos, nesta relação, saiam confiantes para o enfrentamento de possíveis novas soluções acordadas, onde a maioria só enxerga a possibilidade de conflito…

Relação Ganha-Perde:

Esta relação encontra duas características: 
– de um lado um egoísta;
– do outro lado um submisso.

Para se chegar a uma relação Ganha – Perde exige-se que:

– um lado tenha uma convicção muito forte, acompanhado de pouca empatia, e

– o outro lado admita ou opte por passividade. 

Relação Perde-Ganha:

É semelhante à anterior, só muda o lado.

Relação Perde – Perde:

Este é a também uma péssima opção, pois ambos os lados, por nenhum ceder, numa posição egoísta ao extremo, preferem perder a entrar em acordo.

A Teoria dos Jogos explica bem…

Para saber mais e melhor como a Teoria dos Jogos pode nos afetar, leia: COMPETIÇÃO OU COOPERAÇÃO?

E por falar em cooperação e competição, em quaisquer tipos de relacionamentos, a melhor forma de agir sempre é a cooperação, pois mesmo dentro de empresas, em relações patrão-empregado e empregado-empregado, a cooperação sempre é a que resulta em maior benefício para a empresa e para os empregados.




Você, empresário, prefere um empregado que sempre opte por competir com outros empregados, ou que opte por sempre cooperar com a empresa?

Quando dois empregados estão disputando o mesmo cargo, imaginemos que um deles entre em uma competição acirrada, mas o outro sempre objetiva o ganho da empresa?

Quem o dono da empresa deve escolher?

Só há uma resposta possível para estas duas perguntas: o escolhido sempre deve ser o empregado que coloca a empresa em primeiro lugar, ou seja, o que colabora.

A outra escolha diz para os seus empregados que quem pensa no bem da empresa não é o escolhido.

Imagine e analise as outras possíveis relações comerciais. Sempre o comportamento de colaboração vai ser o escolhido.

Se nas relações comerciais sempre é escolhida a colaboração, imagine nas relações amistosas e afetivas…

Todas as relações, comerciais ou não, são pautadas pela colaboração, pela confiança que cada lado deposita no outro, pelo comprometimento recíproco que um lado tem com o outro.

Leia estes estes artigos:

A PRINCIPAL CARACTERÍSTICA DA LIDERANÇA

A CONFIANÇA E A LIDERANÇA EMPRESARIAL 

É assim entre pessoas, é assim no comércio, é assim na vida.

Aos que disserem que os relacionamentos pessoais são muito deferentes, eu respondo que nesses relacionamentos a troca se dá por afeto, mas não deixa de ser uma troca.

Nos relacionamentos comerciais existe, normalmente, a troca de dinheiro por bens ou serviços.

Leia o artigo:

TODOS NÓS SOMOS VENDEDORES

Em todos e quaisquer relacionamentos sempre há uma troca, e esta troca pode e deve ser estudada pelo homem. O estudo das trocas que se realizam no mercado chama-se marketing.

Você sabe criar e manter relacionamentos comerciais?

A Merkatus pode ajudá-lo nesta busca, contate-nos.

Construa uma semana excelente.

Carlos Alberto de Faria

Graduado em Engenharia Eletrônica pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) em 1972 e pós-graduado em Marketing de Serviços pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) em 1997. Mais de 40 anos de experiência em Marketing.

Este artigo pode ser impresso, repassado ou copiado, no todo ou em parte, desde que
1º – mantida a autoria; 2º – divulgado o autor e 3º – divulgado o endereço do site  https://www.merkatus.com.br

🏆 Marketing Institucional 🏆 Os 10 artigos mais buscados da semana

  1. Potencial de Mercado: O Que É e Como Medir?
  2. O que é ENTROPIA na administração?
  3. Missão Visão & Valores: Por Que, O Que, e Como? Exemplos
  4. SERVIÇOS: As expectativas dos clientes
  5. VENDENDO PLANOS
  6. A Pirâmide de Maslow
  7. SERVQUAL: Método Para Medir A Qualidade Dos Serviços – Exemplo
  8. Dicas Práticas para ATENDIMENTO PESSOAL
  9. Fatores chave de Sucesso – Os 5R’s
  10. O Marketing cria NECESSIDADES?