Há um conjunto de informações grande, muito grande, circulando, disponível. Acho que todos nos sentimos perdidos no meio de tantas informações. 

O nosso objetivo, com este artigo é disponibilizar algo prático, na linguagem do dia a dia, que esclareça o que é, o que se pode fazer e alguns porquês, é dar um panorama visto da ponte para os empreendedores que iniciam sua jornada e para os demais interessados. 




Este artigo não tem a pretensão de esgotar nenhum assunto. Seu objetivo é coletar e colocar, resumidamente, em um único local, e sob uma mesma linguagem, várias informações dispersas e aparentemente desconexas. 

O QUE É ESTRATÉGIA?
Estratégia é o caminho escolhido para posicionar a sua empresa, através de vantagens competitivas sustentáveis, que visam garantir a perenidade da empresa. 

QUAIS SÃO AS ESTRATÉGIAS?
Há somente 3 estratégias possíveis:

– “Me too!”, ou “Eu também!”, para os seguidores de concorrentes;

– estratégias evolutivas (basicamente melhoria contínua), sempre na frente dos concorrentes, ou, no mínimo, se destacando dos concorrentes;

– estratégias revolucionárias: aquelas que subvertem o mercado, um exemplo clássico é a indústria dos plásticos com a indústria siderúrgica.

Quer saber mais?“Só Há 3 Estratégias”.

POR ONDE COMEÇAR? 
Comece sempre do começo. E o começo é o ponto onde você escolheu iniciar.

QUAL A PRINCIPAL CARACTERÍSTICA PARA QUE EU E O MEU NEGÓCIO CRESÇAMOS?
Aprender, a humildade de aprender; SEMPRE. 

O básico, sempre, é defrontar-se com os fatos. 

Acredite em Deus, mas feche a porta da casa e do carro. Peça dados e fatos a todos os que não forem Deus. Percepção e boa vontade são ótimas entre amigos; já profissionais trabalham com dados e fatos observáveis, e observados.

E SE EU ERRAR?
Errar faz parte do jogo. 

Aproveite sempre a oportunidade do erro para aprender. Por isso que o ponto inicial é aquele que você escolher: poderia ser outro, mas na dúvida, comece já e meça. Acertou, vá em frente. Errou, verifique as razões, aprenda e reinicie.

O importante, o mais importante é a atitude de humildade para a percepção do erro. A percepção do erro cria a oportunidade do aprendendizado.

Já acertar e persistir no acerto conduz à excelência.

Gostou? Quer mais? 

ERREI! E Agora?

Aprenda sempre, no erro e no acerto.

COMO EU MONTO A MINHA EQUIPE?
Você lembra da estratégia que falamos acima? 

Pois é, a estratégia é um mapa. 

Para percorrer o caminho físico, o caminho real indicado no mapa, você vai precisar de pessoas que possam levar e ajudar você, e sua empresa, no percurso real. 

Quais as características, quais as competências, qual o perfil dos profissionais que facilitarão e darão a velocidade e a certeza de que você, e a sua empresa, chegarão lá? 

Gestão por competência nada mais é do que garantir que você tenha as competências (conhecimentos, habilidades e atitudes) em sua empresa para empreender a jornada, para percorrer o caminho escolhido da estratégia, no prazo certo.

Leitura complementar:

Montando Equipes Que Funcionam!

MAS SE EU MONTO A EQUIPE COM ESSES PROFISSIONAIS, EU TENHO A CERTEZA DO RESULTADO?
Não! 

Para que as pessoas trabalhem, e trabalhem com bastante vontade, é preciso colocar uma cenoura à frente, e uma tocha acesa atrás. A pessoa corre para pegar a cenoura. E corre também para fugir de queimar o rabo.

Na psicologia comportamental, isso se chama o reforço positivo (eu trabalho para obter o que eu quero e gosto) e o reforço negativo (trabalho para evitar algo que eu não quero, o que me causa dor).




EXPLICA MELHOR ESSE NEGÓCIO DE CENOURA E TOCHA ACESA?
A cenoura são as coisas boas, as recompensas dos que têm desempenhos diferenciados. 

Os prêmios ou recompensas devem ser sempre absolutos, ou seja, deve-se premiar a todos que atingirem um patamar. 

Deve-se ter patamares diferentes para premiar diferentemente, desempenhos bons (cenouras), dos desempenhos excelentes (picanha ou chocolate). 

Evite premiar somente o melhor, pois a grande maioria, como não pode ser “o melhor” , desanima. Mas premie os melhores também. 

Premie o melhor que ensina “os caminhos dele” aos não tão bons.

Premie o desempenho do terço superior! Use, preferencialmente, avaliações 360º, onde todos que se relacionam profissionalmente sejam avaliados.

A tocha acesa serve para indicar às pessoas que têm desempenho próximo do mínimo, ou mesmo abaixo deste, o seguinte: ou elas mudam ou deixarão de participar da caminhada! 

Afinal, não se faz uma empresa de qualidade, com pessoal meia-boca!

Punição não resolve, já se provou em psicologia. Na ausência do organismo punidor, o comportamento aparece novamente. Por este motivo, meu amigo, crie as suas cenouras e acenda a sua tocha.

Ah, mais uma barbada! Evite ao máximo premiar ótimos desempenhos com ausência de trabalho (férias, folgas, descanso). A mensagem transmitida é que ausência de trabalho é boa, e isto não é bom para qualquer empresa, mesmo que ela seja de turismo!

Relacione um conjunto de prêmios que tenham a ver com trabalho. Você pode até dar um liquidificador, mas que seja numa ocasião onde muitos outros vejam e aplaudam, pois serve de exemplo (para os outros) e incentivo e reconhecimento (para os premiados).

Adote o hábito de premiar pelo menos uma pessoa por dia. Mantenha o foco no lado positivo, nas coisas boas.

Por exemplo: crie um “pin” do bom desempenho.

Cace, na sua empresa, alguém que faça algo – pode ser simples, mas que seja bom – e dê um “pin” a ela. 

Informe a ele, que se ele, o recebedor do “pin”, vir outro empregado fazendo algo bom, ele pode e deve dar o “pin” para essa pessoa, e vir buscar outro.

Deixe esta corrente se estabelecer em sua empresa. Depois que o “pin” estiver em 50% dos empregados, comece a premiar os fregueses, os fornecedores, os vizinhos, sempre por algo de bom. 

Não gostou da idéia do “pin”, faça um bóton. Ou outra qualquer, mas reconheça e premie o lado bom. 

Crie uma corrente positiva, uma corrente de alto astral. Esse é o segredo: pessoas com auto-estima elevada têm maior produtividade.

Ignore o lado ruim, sempre que não ferir a ética e os valores da sua empresa.

Erros corrigem-se com treinamento e orientação.

A persistência no erro corrige-se com substituição do empregado por outro que saiba aprender.

Quando ferir a ética e os valores da emrpesa, puna ou demita. Seja implacável com o respeito aos valores e à ética, e se coloque como exemplo, praticando o que diz e dizendo o que pratica. Isto ajuda a criar um senso de moralidade que eleva os patamares de desempenho de todos.

Estabeleça a Missão, Visão e Valores da sua empresa para facilitar a vida de todos os empregados, no dia a dia. Esse conjunto é o “Manual de Cego” para todos e quaisquer empregados; em caso de dúvida, consulta-se ou recorre-se a este Manual.

Mantenha o pessoal constantemente enfrentando desafios realizáveis.

Isso o pessoal chama de motivação. Mas não acredite nisso, motivação é uma chave que abre por dentro de cada pessoa.

Se você tiver interesse, leia o livro “Atitudes favoráveis ao ensino”, de Robert F. Mager. Transporte o conteúdo do livro, que é para escola, para a sua empresa e crie o “Atitudes favoráveis ao trabalho na minha empresa”.

ISSO É SUFICIENTE?
Não. 

Há que se padronizar! A padronização é necessária para reter o conhecimento, para possibilitar a melhoria contínua, conservar o histórico para aprender com o passado e não repetir erros no futuro! Novamente o aprendizado.

A padronização é boa para o empregado, pois ele sabe o que esperam dele. A padronização é boa para o empreendedor, pois é mais fácil treinar e gerenciar sobre um padrão estabelecido.

Algo deu errado? Ou a padronização está errada ou foi falha de desempenho.

Corrija-se a padronização, ou treine-se o empregado, ou ainda arrume outro empregado, quando a falha foi repetida (lembre-se: ninguém faz uma empresa de qualidade com pessoal meia-boca).

Leitura complementar: 

A Gestão Do Conhecimento E A Padronização

E ESSE TAL DO FOCO NO CLIENTE?
Essa é uma tendência irreversível: não adianta pensar no que você produz! O que você produz,na sua essência, é cliente satisfeito! 

É isso ou o insucesso!

É mais ainda, é o cliente encantado que compra da sua empresa e volta para comprar sempre. 

Com isto estamos querendo dizer que, se a necessidade do mercado que você atende muda, o que você produz deve mudar também. Não atender isto é sinônimo de fracasso.

E o foco deve ser mais amplo do que o cliente, o foco deve ser o mercado:

– A quem você, ou sua empresa, podem atender?

Com pequenas adaptações no seu serviço-produto, quais novos segmentos de mercado poderiam ser atacados?

– Onde você poderia encontrar novos clientes?

Deixar de ter este foco no mercado – e não exclusivamente nos clientes – pode deixar escancarada a porta para a concorrência se sobressair e abocanhar o mercado que poderia ser seu, ou da sua empresa. Portanto, lembre-se…

O foco da sua empresa é o mercado, e o que você produz é encantamento dos seus clientes, ou seja, seu foco é atender o mercado para encantar cada vez mais e melhores os seus clientes.

POR QUE FALAM TANTO DE TRABALHO EM EQUIPE?
A razão do trabalho em equipe é simples. Um apanhado de pessoas tem, cada um, um objetivo. 

Já uma equipe trabalha e luta por um único objetivo, uma equipe tem um foco definido e único para dirigir os seus esforços e alocação de recursos, sob sua responsabilidade.

POR QUE FALAM TANTO DE PROCESSOS, TAMBÉM?
Trabalhar por processos ajuda a definir o valor agregado de cada trabalho executado, em cada parte, e a qualquer tempo, dentro da empresa.

Significa fazer entrar na empresa, a voz do mercado, pois o início de todos os processos é escutar o que o cliente quer. 

Os demais processos só fazem levar esse desejo para dentro da empresa, para as providências de sua produção. Portanto, trabalhar por processos significa enxergar sempre quem recebe o seu trabalho como seu cliente, sendo ele, o seu cliente, quem diz o que quer de valor agregado ao que você produz.

Os processos também ajudam a tornar a empresa mais horizontal, ou seja, com menos níveis hierárquicos. Há uma tendência, nas empresas de ponta, ao trabalho por processos e com equipes.

DIGA UMA COISA, E ESSA TAL DE LIDERANÇA, O QUE É? TODO MUNDO PODE LIDERAR?
Liderar é obter dos seus empregados os resultados que você julga importantes, mas por vontade própria destes mesmos empregados. Há líderes natos e líderes que aprenderam a liderar.

A grande característica do líder é ter seguidores. Se há seguidores é porque há um líder. As pessoas só seguem quem elas confiam. A confiança é a base da liderança.

Leitura complementar:

Definição De Liderança

A Principal Característica Da Liderança


Outras Características Da Liderança


O Teste De Autoliderança

SÓ ISSO?
Não, não é só isso. 

Como o título diz, isto é o SUMO DO RESUMO, portanto para ficar um RESUMO efetivo, paramos por aqui.

Leia também o artigo complementar a este:

EMPREENDEDORES: O Sumo Do Resumo Dos Negócios.

Parece simples, e é. Mas não é fácil! 

Dúvidas? Leia a página PERGUNTAS E RESPOSTAS para maiores informações sobre como podemos atender as suas necessidades, ou contate-nos diretamente, sem compromisso.

Carlos Alberto de Faria

Graduado em Engenharia Eletrônica pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) em 1972 e pós-graduado em Marketing de Serviços pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) em 1997. Mais de 40 anos de experiência em Marketing.

Este artigo pode ser impresso, repassado ou copiado, no todo ou em parte, desde que
1º – mantida a autoria; 2º – divulgado o autor e 3º – divulgado o endereço do site  https://www.merkatus.com.br