Fazer o marketing da sua empresa, ou o seu próprio marketing, pode:

– ser confuso,
– ser trabalhoso,
– não dar resultados ou
– dar poucos resultados.




No entanto, há um aspecto do marketing da sua empresa, que apesar de ser barato e extremamente eficaz, usualmente costuma ser negligenciado, esquecido.

Vejamos alguns aspectos do que é esse o marketing usualmente praticado:
– o marketing feito para o mercado-alvo, aquele dirigido ao seu cliente potencial,
– o marketing interno dirigido aos seus colaboradores (empregados, terceirizados e fornecedores).

Para efeitos práticos, quando tratarmos da sua empresa tanto pode ser a sua empresa, como a VOCÊ S.A., o empreendimento que é a sua pessoa.

O primeiro marketing acima é o marketing dirigido ao mercado. O segundo (o endomarketing ou marketing interno) visa disponibilizar e manter em sua empresa profissionais de talento para enfrentar a batalha pela conquista do mercado.

Há um aspecto, que se situa após estes dois tipos de marketing, normalmente considerado implícito, mas que necessita foco, atenção e atividades específicas.

Este possível ponto cego é o marketing que seus colaboradores: seus empregados, terceirizados e fornecedores (ou mesmo você!) fazem da sua empresa, do que ela é, e do que ela produz.

Este é o marketing de influência.

O círculo de influência de cada um desses colaboradores (seus familiares e amigos) faz com que a percepção que eles têm da sua empresa seja transmitida ao mercado. 

É a voz dos seus colaboradores transmitindo ao mercado o que eles sentem, percebem e vivenciam na sua empresa. E essa influência é altamente respeitada, pois tem a credencial do testemunho da vivência do dia a dia dentro da sua empresa.

Esta influência, originada pelos colaboradores, é forte formadora da imagem e posicionamento de qualquer empresa, e da sua, em particular.

Em particular,a imagem que você transmite em família, frente aos amigos, dirigindo, em suas atividades esportivas, em suas atividades de lazer, em reuniões sociais, em quaisquer outras atividades, ajudam a transmitir a imagem da sua empresa, pois você é dono, ou, no mínimo, parte dela.

No caso particular de você ser um profissional independente, onde você é a sua empresa, você é um painel vivo anunciando a sua empresa, 24 horas por dia.

Como tudo na vida, isto pode ser uma oportunidade ou uma ameaça. A escolha é sua. O jeito como os seus colaboradores percebem sua empresa, reflete-se na imagem da sua empresa que eles transmitem para o mercado.

Lembre-se: viver é a única atividade na qual estamos conectados 24 horas por dia. O que fazemos na vida é reflexo e se reflete em todas as nossas outras atividades às quais estamos conectados tempos, obrigatoriamente, menores. Por isso o marketing de influência é muito mais uma questão de quem você é, do que o que você está fazendo…

O marketing de influência é mais uma questão de atitude, do que de conhecimento e habilidades.




Só para se ter ideia do alcance desta poderosa ferramenta do marketing de influência: um empregado fala com 10 pessoas. Cada uma destas 10 pessoas fala com outras 10 pessoas. Mais uma etapa e cada uma dessas outras 10 atingem mais 10 pessoas. Já são 1000 os contatos possíveis. 

Mil pessoas trazendo ao mercado o que sua empresa é, na percepção dos seus colaboradores! Multiplique isso pelo número de colaboradores e você tem a exata dimensão do tamanho da influência desse marketing latente e, frequentemente, esquecido.

As facilidades de comunicação existentes hoje, um simples “e-mail” pode ser replicado e enviado para um número inimaginável de receptores. Diante disso o número de 10 contatos diretos por pessoa é pequeno.

Portanto, fique atento! A percepção que os seus colaboradores possuem da sua empresa: 

– de como ela atua,
– de como ela faz o que faz,
– do que ela produz,

é passada ao mercado lá fora, com a autoridade e confiança reconhecida pelo mercado, por trabalharem ou estarem próximos da sua empresa.

A palavra dos seus colaboradores é de quem conhece, é mais do que uma simples palavra: é um testemunho.

A imagem que eles transmitem é a real para o mercado, e é difícil de ser mudada.

Todos os seus colaboradores, quando deixam de ser os profissionais, passam a ser os cidadãos do mundo, nas outras 16 horas do dia, e nos dias de descaso. É neste tempo enorme que eles cultivam uma extensa rede de contatos, onde eles transmitem a percepção da sua empresa.

Este fato é tão mais importante quanto mais próximo dos seus colaboradores está o seu mercado alvo.

Imagine um empregado de um fornecedor, por exemplo, ter em casa o que você produz, ou usar o que você produz, dizendo para o seu círculo de influência:

-“Eu comprei isto porque lá eles trabalham legal. Tudo que eles fazem é 10!”

Esta propaganda gratuita é melhor que a propaganda boca a boca, pois o cliente só experimenta o que você faz. O colaborador utiliza o que você produz e dá o testemunho positivo de como a “coisa” foi feita. Esta é a melhor propaganda.

Os seus colaboradores ajudam a fazer o marketing da sua empresa, quer você queira ou não. Só que, diferentemente dos outros tipos de marketing, eles não falam o que você quer. Eles falam o que eles sentem e percebem.

Note que o marketing de influência, se positivo, soma-se ao marketing da sua empresa. Se negativo, trabalha contra o marketing da sua empresa. Esta é uma possível causa de resultados fracos em esforços de marketing.

Como está o marketing de influência da sua empresa?

Você usa os seus colaboradores para fazer um marketing de influência positivo para a sua empresa?

Os seus colaboradores se sentem bem produzindo em sua empresa?

Os seus colaboradores experimentam o que sua empresa produz? E os demais colaboradores? E os seus fornecedores?

Qual a impressão que eles têm sobre o que você produz? E sobre a sua empresa?

Há uma efetiva vivência e proximidade dos seus colaboradores com o que sua empresa produz?

Os familiares desse pessoal – empregados, terceirizados e fornecedores – sabem e experimentam o que sua empresa produz?

De que forma a sua empresa facilita o testemunho dos seus colaboradores para o mercado, sobre o que sua empresa produz?

Façamos uma excelente semana!

Carlos Alberto de Faria

Graduado em Engenharia Eletrônica pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) em 1972 e pós-graduado em Marketing de Serviços pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) em 1997. Mais de 40 anos de experiência em Marketing.

Este artigo pode ser impresso, repassado ou copiado, no todo ou em parte, desde que
1º – mantida a autoria; 2º – divulgado o autor e 3º – divulgado o endereço do site  https://www.merkatus.com.br