DEFINIÇÃO de marketing, OBJETIVO do marketing




Fomos, pela segunda vez, convencidos de que precisávamos postergar a conclusão da série de artigos sobre pesquisa, para tratar de um assunto que gerou debate: marketing.

Eu deixo para declarar a definição que eu uso de marketing para o final do artigo.

A tradução de marketing, para o português, é mercadologia , muito embora os dicionários Aurélio e Michaelis já contemplem o vocábulo marketing. A tradução, com a terminação “logia”, reforça a idéia de que corresponde a um novo campo de estudos. 

Muitos, muitos mesmo – é até cultural -, confundem marketing com propaganda. Marketing, definitivamente, não é propaganda, ou pelo menos, não só propaganda. Propaganda é somente uma parte do marketing. E, para o marketing de serviços, a propaganda tem sua importância reduzida, pois a melhor propaganda, nessa área de serviços, é a boca a boca. Mas esse não é o assunto hoje … 

O marketing, originalmente, é oriundo da economia, e alçou vôo próprio e independente da economia, quando se constatou que a base de conhecimento para uso do marketing precisava ser maior, mais abrangente, compreendendo, entre outras: sociologia, antropologia, estatística e psicologia. 

Theodore Levitt, autor clássico da área, tem uma definição de marketing, muito utilizada e divulgada: 

 “Marketing é obter e manter clientes.”

Essa definição, a nosso ver, é excelente como objetivo do marketing, mas não como definição do que é marketing. 

O grande nome do marketing é, sem dúvida, Philip Kotler, que tem os livros de marketing mais lidos, adotados e traduzidos. Ele, em um dos seus últimos livros “Marketing para o século XXI”, 1999, Editora Futura, reconheceu como o objetivo do marketing “o gerenciamento da demanda”. É um conceito que merece nossa atenção e nosso sereno posicionamento, após, necessariamente, algum tempo de reflexão. 






Philip Kotler tem algumas outras definições interessantes: 

O marketing procura o equilíbrio entre a oferta e a demanda. 

Marketing não é a arte de descobrir maneiras inteligentes de descartar-se do que foi produzido. Marketing é a arte de criar valor genuíno para os clientes. É a arte de ajudar os clientes a tornarem-se ainda melhores. 

Marketing é a função empresarial que identifica necessidades e desejos insatisfeitos, define e mede sua magnitude e seu potencial de rentabilidade, especifica que mercados-alvo serão mais bem atendidos pela empresa, decide sobre produtos, serviços e programas adequados para servir a esses mercados selecionados e convoca a todos na organização para pensar no cliente e atender ao cliente.” 

Esta última definição está no livro mais recente de Philip Kotler, Marketing de A a Z, Editora Campus, 2003. 

Como temos hoje o marketing pessoal, a colocação “empresarial” da última definição de Kotler, soa estranho. Mas esta é outra discussão que há na área, se marketing se constitui em uma área de estudos ou é apenas um conjunto, um apanhado de conceitos e conhecimentos de outras áreas. 

Eu encaro o marketing como um conjunto de conhecimentos, oriundos de diversas áreas do conhecimento humano, que tenham aplicação para facilitar as trocas que se efetuam no mercado. Para mim marketing é mais a aplicação. metodologia, prática dos conhecimentos que favoreçam o estabelecimento de trocas proveitosas no mercado, enfim, é mais tecnologia do que ciência.

Muitos definem, operacionalmente, marketing, como um processo. 

 Marketing é “o processo de planejar e executar a concepção, estabelecimento de preços, promoção e distribuição de idéias, produtos e serviços a fim de criar trocas que satisfaçam metas individuais e organizacionais”. 

Esta é a definição da AMA – American Marketing Association. 

Neste tipo de definição, mais operacional, o marketing é visto como um apanhado de conceitos de outras áreas. Mas alheio a isto, os estudiosos de marketing continuam avançando seus estudos com o intuito de dar sustentação ás necessidades do mercado e aos decorrentes lançamentos, subdividindo-se em vários grupos de estudo, a saber: 




marketing pessoal; 
marketing político, 
marketing interno ou “endomarketing”,
marketing de serviços, 
marketing de massa, 
marketing das nações, 
marketing social, 
marketing de relacionamento; 
marketing de experiências e 
marketing organizacional. E, com certeza, podemos ser interrompidos por alguém que cite, apropriadamente, outro “tipo” de marketing.

Para mim, restam somente duas frases, uma definição e um objetivo, simples e diretas:

 
Marketing é o estudo das trocas que se realizam no mercado. 
 
O objetivo do marketing é obter e manter clientes. 

Interessado em saber mais sobre marketing?

Contate-nos ou leia a página PERGUNTAS E RESPOSTAS para maiores informações sobre nossos serviços.

Construa uma semana excelente.

Carlos Alberto de Faria

Graduado em Engenharia Eletrônica pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) em 1972 e pós-graduado em Marketing de Serviços pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) em 1997. Mais de 40 anos de experiência em Marketing.

Este artigo pode ser impresso, repassado ou copiado, no todo ou em parte, desde que
1º – mantida a autoria; 2º – divulgado o autor e 3º – divulgado o endereço do site  https://www.merkatus.com.br

🏆 Marketing Institucional 🏆 Os 10 artigos mais buscados da semana

  1. Potencial de Mercado: O Que É e Como Medir?
  2. O que é ENTROPIA na administração?
  3. Missão Visão & Valores: Por Que, O Que, e Como? Exemplos
  4. SERVIÇOS: As expectativas dos clientes
  5. VENDENDO PLANOS
  6. A Pirâmide de Maslow
  7. SERVQUAL: Método Para Medir A Qualidade Dos Serviços – Exemplo
  8. Dicas Práticas para ATENDIMENTO PESSOAL
  9. Fatores chave de Sucesso – Os 5R’s
  10. O Marketing cria NECESSIDADES?

← Post anterior

Post seguinte →

1 Comentário

  1. Avatar

    Kayk Alencar da Silva

    Muito comum a gente ver certas propagandas, analisar os preços de alguns produtos, ver certas promoções e pensar…”isso é jogo de marketing”, porém, propaganda é só uma parte do marketing

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.