A minha resposta à pergunta, título deste artigo, é que pode haver desperdício na liderança, sim! Este artigo apresenta uma proposta uma proposta de atuação e explica como evitar esse possível desperdício.




Sempre que se fala em liderança, fala-se como se ela fosse um único conjunto de características universais, alguma panaceia que cura todos os males da administração.

Salário e benefícios do líder e da alta direção são o mais alto investimento relativo em pessoal de uma empresa. Desperdício nessa área significa custo sem o retorno e falta de foco.

Eu diria que este artigo é um artigo em busca de uma pesquisa, já que para mim há, no mínimo, três tipos de liderança em quaisquer empresas.

O objetivo é fazer com que elas sejam o mais próximas possíveis, mas isso não ocorre sem muito esforço.

1. A Liderança Oferecida

A liderança oferecida é a mais fácil de ser verificada, é liderança efetivamente atuante na empresa, é aquela exercida pelo líder, ou pelo conjunto de líderes. Não há muita dúvida sobre ela, já que é sempre a liderança existente em quaisquer empresas.

Esta liderança também poderia ser chamada de liderança disponível. Mas este não é o único tipo de liderança. Vejamos.

2. A Liderança Necessária

A liderança necessária é aquela que pode ser detectada, encontrado o perfil, caso sejam analisados o ambiente externo, o ambiente interno, as estratégias e táticas a serem utilizadas para fazer com que o pessoal interno atue de forma pró-ativa no ambiente externo, para promover as mudanças necessárias ao sucesso da empresa.

Portanto a liderança necessária é função do ambiente externo, do ambiente interno e das estratégias de interação entre o ambiente interno e externo.

Com isto eu estou querendo dizer que o perfil da liderança necessária é dependente, no mínimo, do resultado que se quer alcançar, das condições do ambiente externo e das condições do ambiente interno. 

3. A Liderança Percebida

Os empregados, fornecedores e clientes (e a sociedade), por sua vez, vêem a liderança com os seus olhos e percepções das interações que acontecem tanto no ambiente interno (liderança-seguidores e seguidores-seguidores), como no ambiente externo (liderança-mercado e seguidores-mercado). 

A liderança percebida também é dependente da cultura empresarial na qual ela está ocorrendo. E mais individualmente, é dependente também das contingências de cada empregado.

A formação da opinião do grupo de seguidores, a respeito da liderança, é também um fator que afeta a própria percepção da liderança. O perfil da liderança percebida pode ser detectado através de pesquisa com os seguidores (empregados, fornecedores e terceirizados), com os clientes e com a sociedade próxima e vizinha.

Note que poderíamos falar também na liderança desejada pelos seguidores, que é bastante importante. A nossa opção foi que a empresa contrata os seus líderes e empregados para a execução de um conjunto de tarefas, comportamentos e atitudes que visam dar condições à empresa de atuar no mercado.

A liderança desejada pelos seguidores, que é bem diferente da liderança percebida, muito embora aquela influencie muito esta, pode ser incluída na pesquisa ou substituir a liderança percebida.

Nossa opção pela liderança percebida ocorre porque há que se mostrar aos seguidores quais são as necessidades da empresa e a postura do líder e seguidores, e o que importa para a empresa é quanto distante ou diferente está a liderança percebida da liderança necessária. A liderança desejada é um mero sonho.

4. O Que Fazer Com Isso?

Está tudo muito bom, está tudo muito bem, mas o que sai desta barafunda toda?

O que resulta é, a princípio, que toda liderança que não seja a liderança necessária, é desperdício. 

Há algumas ressalvas: da análise da liderança oferecida ou disponível e da liderança percebida, mas não necessárias, a princípio, podemos verificar se, efetivamente, são desperdícios, ou se o levantamento da liderança necessária tinha alguma falha no perfil levantado (ciclo de aprendizagem).




Juntando, se for o caso, à liderança necessária os achados “inicialmente não detectados”, o resto das lideranças percebidas e oferecidas, que não necessárias, são desperdício. Desperdício de liderança, puro e simples.

Entendemos como ciclos de aprendizagem cada etapa de pesquisa, a cada etapa medimos as três lideranças e metas são traçadas para o líder e alta direção. É como o ciclo PDCA da qualidade.

Veja o gráfico 1 abaixo.


Gráfico 1 – Levantamento Inicial
Lideranças Necessária, Percebida e Oferecida


Esta pesquisa pode conduzir a casos onde a mudança da liderança seja uma necessidade. Com este pano de fundo, a quem compete fazer este tipo de pesquisa? Um órgão interno, comandado pelo líder, propor a substituição do líder, é fora de propósito. Parece-me ser esta atividade o caso de atividade perene, executada por empresa com alta credibilidade no mercado. 

O processo, que deve ser estabelecido, é fazer com que a intersecção das três lideranças – oferecida, percebida e necessária – caminhem para ser o mais próximo possível da liderança necessária, que é a base de comparação. Para tanto o líder deve verificar periodicamente a situação da liderança e o que ele deve fazer:

– liderança percebida diferente da liderança necessária: aqui há dois caminhos visando aproximar a liderança percebida da liderança necessária:

         – quando a percepção dos liderados precisa mudar: comunicar e compartilhar o porque da liderança ser “assim” e não “assado”, tentando mostrar o caminho que a liderança tem que tomar;

          – quando a liderança precisa mudar: trabalhar com a liderança para adequar o seu comportamento e atitudes à liderança necessária para dar maior visibilidade e percepção aos seguidores da necessidade real da liderança.

– liderança oferecida diferente da liderança necessária: aqui o trabalho é somente com a liderança, quais comportamentos, atitudes, programas, projetos, metas e objetivos precisam ser assumidos para provocar uma aproximação da liderança oferecida com a liderança necessária.

Com estas atividades o gráfico anterior, com o tempo, deve passar a ter a configuração mostrada no Gráfico 2, abaixo:


Gráfico 2 – Após vários ciclos de aprendizagem como estariam as
Lideranças Necessária, Percebida e Oferecida

Com esta proposta, a liderança passa a ser, não só um aprendizado, mas também algo em constante confronto com o mercado. Deixa de ser um conjunto de características e perfis pré-determinados e passa a ser um conjunto de características e perfis em constante evolução, de acordo com as condições do mercado e as necessidades da empresa em se adaptar constantemente a este mercado dinâmico. 

Leia também os seguintes artigos:

LIDERANÇA E PREVISIBILIDADE

A DEFINIÇÃO DE LIDERANÇA ;A PRINCIPAL CARACTERÍSTICA DA LIDERANÇA
OUTRAS CARACTERÍSTICAS DA LIDERANÇA;

A LIDERANÇA PODE SER APRENDIDA?;

HÁ DESPERDÍCIO NA LIDERANÇA? eLIDERANÇA EMPRESARIAL 

Até um próximo artigo!

Carlos Alberto de Faria

Graduado em Engenharia Eletrônica pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) em 1972 e pós-graduado em Marketing de Serviços pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) em 1997. Mais de 40 anos de experiência em Marketing.

Este artigo pode ser impresso, repassado ou copiado, no todo ou em parte, desde que
1º – mantida a autoria; 2º – divulgado o autor e 3º – divulgado o endereço do site  https://www.merkatus.com.br