O PLANEJAMENTO E AS PESSOAS

Quando você quiser começar alguma coisa,
comece pelo princípio e
o princípio será qualquer lugar 
onde você começar.

Wolber de Alvarenga, in “Bola de Gude – Poesias e Toques”,  Editora do Autor.

Qual é a direção dos seus esforços de planejamento? 

Há algumas semanas fomos argüidos sobre sermos contra os planejamentos. Isso se deveu a um artigo onde nos insurgimos contra os planejamentos adjetivados, tipo planejamento estratégico, como se a característica de estratégico conferisse algo a mais a este tipo de planejamento.

Nossas idéias sobre planejamento podem ser encontradas aqui:

– noções básicas e práticas: 

O QUE É PLANEJAMENTO?;

– porque planejamento é necessário e o que ele tem a ver com a sua liberdade: 

PLANEJAMENTO E LIBERDADE;

– o planejamento é um indicativo do caminho, é um simples mapa e jamais substitui o caminho: 

PLANEJAMENTO: Mapa Ou Caminho?;

– para que se fazem planejamentos? Aqui você obtém a resposta: 

PLANEJAMENTO E RESULTADOS.

Hoje vamos dar uma idéia do que entendemos por planejamento, e o que o faz dar os resultados desejados.

Todo o planejamento empresarial visa obter um determinado resultado no mercado, frente aos concorrentes, através dos seus esforços e recursos.

1º Constatação
O planejamento é um conjunto de propostas de estratégias, táticas e ações que visam nortear esforços e recursos de uma forma produtiva, numa briga dinâmica com os concorrentes, dentro do mercado, que exige constantes adaptações à realidade construída e modificada pelas ações dos múltiplos participantes do mercado.

2º Constatação
Os resultados, que a maioria das empresas busca, estão fora dela, estão no mercado.

3º Constatação
Na disputa pelos clientes, que ocorre no mercado, você e a sua empresa precisam de recursos humanos, financeiros e materiais, utilizados da forma mais produtiva possível.

4º Constatação
Os esforços da sua empresa, na direção dos resultados desejados, do sucesso pretendido, serão feitos, executados e implementados, no mínimo, por estas pessoas:- os empregados da sua empresa,
– pelos seus fornecedores, 
– pelos seus agregados e 
– pelos seus clientes.

Com este ponto de vista, vemos claramente que o uso dos recursos materiais e financeiros, com a finalidade de produzir os resultados desejados, através do caminho apontado pelo planejamento, depende tanto das pessoas como do uso produtivo, coordenado, conjunto, comprometido e dirigido, que depende das pessoas…

As pessoas, todas as pessoas envolvidas listadas acima, podem trabalhar a favor, ao atrapalhar os resultados que se pretende atingir.

E, portanto, o planejamento, após ter sido feito pelas mais variadas formas, pois há infinitos jeitos e caminhos para se chegar ao planejamento, restam:- os objetivos e resultados pretendidos;
– os recursos financeiros e materiais e
– as pessoas que se encarregarão de sair daqui (onde estamos) e chegar lá onde estão os resultados pretendidos!

E chegamos neste ponto, onde independentemente do processo utilizado para se chegar ao planejamento, ou do nome ou adjetivação usado no planejamento, chegamos às pessoas. 

A execução do planejamento, qualquer que seja ele, o fazer acontecer, o sucesso tem como chave do seu sucesso as pessoas. Se as pessoas envolvidas não quiserem, se elas não estiverem dispostas, será, frequentemente, muito difícil fazê-las executar o planejado; e se for executado será com baixa produtividade.

Portanto, todos e quaisquer esforços que buscam o sucesso do planejamento acabam tendo uma ênfase muito grande na cultura, no clima ou ambiente da empresa, na liderança e na gestão da mudança, enfim na administração das pessoas.

Note que de nada adiantam inovação, criatividade, foco no mercado, se a empresa não tiver a capacidade de fazer acontecer. A competência mais difícil e a que dá consistência quaisquer empresas é a sua capacidade de fazer acontecer aquilo que ela planeja que aconteça.

Quando afirmamos o que dissemos acima, não estamos menosprezando outras áreas como as de finanças, tecnologia, incluída aqui a TI, todas são necessárias, sem a mínima dúvida, mas somente que o capital, o conhecimento e a tecnologia, estão disponíveis no mercado, mas:- a força de vontade,
– o comprometimento,
– a unidade de propósitos
– o trabalho em equipe,
– o senso de destino comum,
– os olhos atentos diariamente à realidade mutável,
– a postura de aprender sempre,
– o pegar o touro à unha, a cada dia

é que fazem diferença entre:- os que atingem os resultados e celebram o sucesso, e 
– a grande maioria que fica pelo meio do caminho.

Caso o assunto tenha despertado o seu interesse, contate-nos diretamente, sem compromisso, ou ainda leia a página PERGUNTAS E RESPOSTAS para maiores informações sobre como podemos atender as suas necessidades.

Carlos Alberto de Faria

Graduado em Engenharia Eletrônica pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) em 1972 e Pós-Graduado em Marketing de Serviços pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) em 1997. Mais de 40 anos de experiência em Marketing.


Este artigo é uma prática de disseminação de conhecimento adotada pela Merkatus, através do correio eletrônico, de circulação restrita e exclusiva para pessoas, instituições ou empresas que manifestaram o interesse em recebê-lo. Este artigo aborda temas que ajudam as pessoas, as empresas e as instituições a aprimorar: a) a obtenção de mais e melhores clientes certos; b) a conformidade do que produzem ou fazem à demanda do seu mercado; c) a aproximação de interesses convergentes entre a demanda e a oferta, dentro da área de serviços. É nosso intuito promover o desenvolvimento pessoal e aprimorar as relações comerciais do mercado. 

Este artigo pode ser impresso, repassado ou copiado, no todo ou em parte, desde que: 1. mantida a autoria; 2. divulgado o autor; e 3. divulgado o endereço do site www.merkatus.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.