O MARKETING NO QUINTAL DA SUA EMPRESA

Fazer o marketing da sua empresa, ou o seu próprio marketing, pode:

– ser confuso,
– ser trabalhoso,
– não dar resultados ou
– dar poucos resultados.

No entanto, há um aspecto do marketing da sua empresa, que apesar de ser barato e extremamente eficaz, usualmente costuma ser negligenciado, esquecido.

Vejamos alguns aspectos do que é esse o marketing usualmente praticado:
– o marketing feito para o mercado-alvo, aquele dirigido ao seu cliente potencial,
– o marketing interno dirigido aos seus colaboradores (empregados, terceirizados e fornecedores).

Para efeitos práticos, quando tratarmos da sua empresa tanto pode ser a sua empresa, como a VOCÊ S.A., o empreendimento que é a sua pessoa.

O primeiro marketing acima é o marketing dirigido ao mercado. O segundo (o endomarketing ou marketing interno) visa disponibilizar e manter em sua empresa profissionais de talento para enfrentar a batalha pela conquista do mercado.

Há um aspecto, que se situa após estes dois tipos de marketing, normalmente considerado implícito, mas que necessita foco, atenção e atividades específicas.

Este possível ponto cego é o marketing que seus colaboradores: seus empregados, terceirizados e fornecedores (ou mesmo você!) fazem da sua empresa, do que ela é, e do que ela produz.

Este é o marketing de influência.

O círculo de influência de cada um desses colaboradores (seus familiares e amigos) faz com que a percepção que eles têm da sua empresa seja transmitida ao mercado. 

É a voz dos seus colaboradores transmitindo ao mercado o que eles sentem, percebem e vivenciam na sua empresa. E essa influência é altamente respeitada, pois tem a credencial do testemunho da vivência do dia a dia dentro da sua empresa.

Esta influência, originada pelos colaboradores, é forte formadora da imagem e posicionamento de qualquer empresa, e da sua, em particular.

Em particular,a imagem que você transmite em família, frente aos amigos, dirigindo, em suas atividades esportivas, em suas atividades de lazer, em reuniões sociais, em quaisquer outras atividades, ajudam a transmitir a imagem da sua empresa, pois você é dono, ou, no mínimo, parte dela.

No caso particular de você ser um profissional independente, onde você é a sua empresa, você é um painel vivo anunciando a sua empresa, 24 horas por dia.

Como tudo na vida, isto pode ser uma oportunidade ou uma ameaça. A escolha é sua. O jeito como os seus colaboradores percebem sua empresa, reflete-se na imagem da sua empresa que eles transmitem para o mercado.

Lembre-se: viver é a única atividade na qual estamos conectados 24 horas por dia. O que fazemos na vida é reflexo e se reflete em todas as nossas outras atividades às quais estamos conectados tempos, obrigatoriamente, menores. Por isso o marketing de influência é muito mais uma questão de quem você é, do que o que você está fazendo…

O marketing de influência é mais uma questão de atitude, do que de conhecimento e habilidades.

Só para se ter idéia do alcance desta poderosa ferramenta do marketing de influência: um empregado fala com 10 pessoas. Cada uma destas 10 pessoas fala com outras 10 pessoas. Mais uma etapa e cada uma dessas outras 10 atingem mais 10 pessoas. Já são 1000 os contatos possíveis. 

Mil pessoas trazendo ao mercado o que sua empresa é, na percepção dos seus colaboradores! Multiplique isso pelo número de colaboradores e você tem a exata dimensão do tamanho da influência desse marketing latente e, freqüentemente, esquecido.

As facilidades de comunicação existentes hoje, um simples “e-mail” pode ser replicado e enviado para um número inimaginável de receptores. Diante disso o número de 10 contatos diretos por pessoa é pequeno.

Portanto, fique atento! A percepção que os seus colaboradores possuem da sua empresa: 

– de como ela atua,
– de como ela faz o que faz,
– do que ela produz,

é passada ao mercado lá fora, com a autoridade e confiança reconhecida pelo mercado, por trabalharem ou estarem próximos da sua empresa.

A palavra dos seus colaboradores é de quem conhece, é mais do que uma simples palavra: é um testemunho.

A imagem que eles transmitem é a real para o mercado, e é difícil de ser mudada.

Todos os seus colaboradores, quando deixam de ser os profissionais, passam a ser os cidadãos do mundo, nas outras 16 horas do dia, e nos dias de descaso. É neste tempo enorme que eles cultivam uma extensa rede de contatos, onde eles transmitem a percepção da sua empresa.

Este fato é tão mais importante quanto mais próximo dos seus colaboradores está o seu mercado alvo.

Imagine um empregado de um fornecedor, por exemplo, ter em casa o que você produz, ou usar o que você produz, dizendo para o seu círculo de influência:

-“Eu comprei isto porque lá eles trabalham legal. Tudo que eles fazem é 10!”

Esta propaganda gratuita é melhor que a propaganda boca a boca, pois o cliente só experimenta o que você faz. O colaborador utiliza o que você produz e dá o testemunho positivo de como a “coisa” foi feita. Esta é a melhor propaganda.

Os seus colaboradores ajudam a fazer o marketing da sua empresa, quer você queira ou não. Só que, diferentemente dos outros tipos de marketing, eles não falam o que você quer. Eles falam o que eles sentem e percebem.

Note que o marketing de influência, se positivo, soma-se ao marketing da sua empresa. Se negativo, trabalha contra o marketing da sua empresa. Esta é uma possível causa de resultados fracos em esforços de marketing.

Como está o marketing de influência da sua empresa?

Você usa os seus colaboradores para fazer um marketing de influência positivo para a sua empresa?

Os seus colaboradores se sentem bem produzindo em sua empresa?

Os seus colaboradores experimentam o que sua empresa produz? E os demais colaboradores? E os seus fornecedores?

Qual a impressão que eles têm sobre o que você produz? E sobre a sua empresa?

Há uma efetiva vivência e proximidade dos seus colaboradores com o que sua empresa produz?

Os familiares desse pessoal – empregados, terceirizados e fornecedores – sabem e experimentam o que sua empresa produz?

De que forma a sua empresa facilita o testemunho dos seus colaboradores para o mercado, sobre o que sua empresa produz?

Façamos uma excelente semana!

Carlos Alberto de Faria

Graduado em Engenharia Eletrônica pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) em 1972 e Pós-Graduado em Marketing de Serviços pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) em 1997. Mais de 40 anos de experiência em Marketing.


Este artigo é uma prática de disseminação de conhecimento adotada pela Merkatus, através do correio eletrônico, de circulação restrita e exclusiva para pessoas, instituições ou empresas que manifestaram o interesse em recebê-lo. Este artigo aborda temas que ajudam as pessoas, as empresas e as instituições a aprimorar: a) a obtenção de mais e melhores clientes certos; b) a conformidade do que produzem ou fazem à demanda do seu mercado; c) a aproximação de interesses convergentes entre a demanda e a oferta, dentro da área de serviços. É nosso intuito promover o desenvolvimento pessoal e aprimorar as relações comerciais do mercado. 

Este artigo pode ser impresso, repassado ou copiado, no todo ou em parte, desde que: 1. mantida a autoria; 2. divulgado o autor; e 3. divulgado o endereço do site www.merkatus.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.