A Lei Da Crença Em DEUS

Você tem pessoas trabalhando com você. Você as incentiva, apoia e demonstra inclusive confiança na sua capacidade de obtenção dos resultados que ela deve alcançar.

Há uma diferença muito grande entre a crença e a confiança:

1. Cremos em DEUS! Ponto final.

2. Confiamos em resultados comprovados, em dados submetidos ao crivo da realidade, ou melhor, em dados representativos da realidade.

Não importa o que você gosta, o que importa é o mercado que você vai atender. 

Confiar não é crer! Então resulta, por conseqüência dessa constatação simples, mas com a força de uma LEI, a Lei da Crença em DEUS:

LEI DA CRENÇA EM DEUS: Cremos em DEUS, 
os outros tragam-nos dados!

Essa Lei pode ser a diferença entre o sucesso e o fracasso.

Você, sob hipótese alguma, deve crer em pessoas. Você confia em pessoas, as incentiva, as escolhe como parceiros, como companheiros, como amigos. A crença cega, a fé, somente em DEUS e nos dados!

Os fatos são comprovados por dados. Boa vontade pode ser nome de legião, mas a boa vontade é inimiga da consistência de resultados.

Esta é a base da administração baseada em fatos. Não se deve tomar decisões sobre pressuposições e achismos.

Esta também é uma lei inexorável! A sobrevivência de qualquer empregado ou empresa depende da obtenção de resultados esperados, desejados e medidos.

E o seu negócio, você o administra através de dados, através dos fatos?

Há um corolário desta Lei:

Corolário da LEI DA CRENÇA EM DEUS: Quem não mede, não gerencia!