LEI DA CRENÇA EM DEUS

Você tem pessoas trabalhando com você. Você as incentiva, apoia e demonstra inclusive confiança na sua capacidade de obtenção dos resultados que ela deve alcançar.

Há uma diferença muito grande entre a crença e a confiança:

1. Cremos em DEUS! Ponto final.

2. Confiamos em resultados comprovados, em dados submetidos ao crivo da realidade, ou melhor, em dados representativos da realidade.

Não importa o que você gosta, o que importa é o mercado que você vai atender. 

Confiar não é crer! Então resulta, por conseqüência dessa constatação simples, mas com a força de uma LEI, a Lei da Crença em DEUS:

  
 LEI DA CRENÇA EM DEUS
  
 Cremos em DEUS, 
os outros tragam-nos dados!
  

Essa Lei pode ser a diferença entre o sucesso e o fracasso.

Você, sob hipótese alguma, deve crer em pessoas. Você confia em pessoas, as incentiva, as escolhe como parceiros, como companheiros, como amigos. A crença cega, a fé, somente em DEUS e nos dados!

Os fatos são comprovados por dados. Boa vontade pode ser nome de legião, mas a boa vontade é inimiga da consistência de resultados.

Esta é a base da administração baseada em fatos. Não se deve tomar decisões sobre pressuposições e achismos.

Esta também é uma lei inexorável! A sobrevivência de qualquer empregado ou empresa depende da obtenção de resultados esperados, desejados e medidos.

E o seu negócio, você o administra através de dados, através dos fatos?

Há um corolário desta Lei:

 Corolário da
 LEI DA CRENÇA EM DEUS
  
 Quem não mede, não gerencia!
  

As suas decisões são suportadas por dados consistentes e que refletem a realidade do mercado e da concorrência?

Até um próximo artigo!

Carlos Alberto de Faria

Graduado em Engenharia Eletrônica pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) em 1972 e Pós-Graduado em Marketing de Serviços pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) em 1997. Mais de 40 anos de experiência em Marketing.


Este artigo é uma prática de disseminação de conhecimento adotada pela Merkatus, através do correio eletrônico, de circulação restrita e exclusiva para pessoas, instituições ou empresas que manifestaram o interesse em recebê-lo. Este artigo aborda temas que ajudam as pessoas, as empresas e as instituições a aprimorar: a) a obtenção de mais e melhores clientes certos; b) a conformidade do que produzem ou fazem à demanda do seu mercado; c) a aproximação de interesses convergentes entre a demanda e a oferta, dentro da área de serviços. É nosso intuito promover o desenvolvimento pessoal e aprimorar as relações comerciais do mercado. 

Este artigo pode ser impresso, repassado ou copiado, no todo ou em parte, desde que: 1. mantida a autoria; 2. divulgado o autor; e 3. divulgado o endereço do site www.merkatus.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.