CONTINUAR OU DESISTIR?

Os homens são animais muito estranhos: 
uma mistura do nervosismo de um cavalo, 
da teimosia de uma mula e 
da malícia de um camelo.

Aldous Kuxley

Resumo:
Você, empreendedor e empresário, segue os seus instintos?
Seguir a intuição é vantajoso?
A persistência é vantajosa? Quando a persistência se transforma em teimosia?

Até onde você deve ir na sua busca do seu sucesso?

A alma humana tem as suas características. Algumas colocadas lá pelos nossos instintos herdados dos répteis, outras colocadas por nossa cultura. Nem todas estas características são úteis para o seu sonho.

Este é o assunto de hoje, um dilema freqüente que empreendedores e empresários enfrentam com razoável freqüência.

Estas perguntas básicas colocadas acima, cujas respostas não menos básicas precisam estar claras na sua cabeça, empreendedor e empresário brasileiro.

Eu vivo repetindo uma frase insuspeita, pois de quem luta para o sucesso, que muitos podem me intitular de agourento, mas a realidade é:

85% das empresas brasileiras fecham as suas portas até o 5º ano da sua abertura.

Com todas as letras: isto quer dizer que a cada 100 empresas abertas no Brasil, somente 15 duram mais de 5 anos, segundo dados do insuspeito SEBRAE.

O Boletim Semanal desta semana poderia ser intitulado Preparando O Insucesso”, que como já vimos, é o que fazem perto de 85% dos empreendedores brasileiros. E você não quer isso para você, não é mesmo?

Continue lendo…

Somente este dado da realidade crua deveria servir aos empresários e empreendedores brasileiros para se prepararem mais e melhor, para investirem:- na elaboração cuidadosa do seu plano de negócios, 

– na determinação do posicionamento da sua empresa frente à concorrência, – na segmentação do seu mercado, na escolha dos seus mercados-alvo, e – na busca de uma vantagem competitiva para a sua oferta frente à concorrência.Estes itens acima, que deveriam ser cuidadosamente verificados, analisados e construídos, uma grande parte dos empreendedores e empresários brasileiros simplesmente desconhece. 

O resultado colhido está na triste estatística acima.

V amos repetir e dar maiores esclarecimentos, apontar caminhos, para não deixar dúvidas, uma vez que já tratamos destes assuntos, cada um deles, em outras oportunidades: 

– faça o seu plano de negócios; leia os artigos: PLANOS DE NEGÓCIOS SÃO NECESSÁRIOS?

PEGUE JÁ O SEU PLANO DE MARKETING
– posicione a sua empresa frente à concorrência e ao mercado de atuação; leia o artigo:
POSICIONAMENTO: O Que E Como?
– segmente o seu mercado; leia o artigo:
SEGMENTAÇÃO DE MERCADO


– construa a sua oferta; leia o artigos OS 5 Rs , estude e compreenda detalhadamente a Matriz dos Fatores Críticos de Sucesso, ao final dessa página;

– e também estes artigos:RELEVÂNCIA;

RECONHECIMENTO; e

VANTAGEM COMPETITIVA: O Que E Como?

Um dos tópicos do seu Plano de Negócio, que deve ser exaustivamente estudado, é quando você deve fechar o seu empreendimento, quando você deve desistir, meticulosamente planejado.

Isto garante a você a manutenção da busca do seu sonho, sem se afogar em dívidas e dúvidas sobre a sua própria capacidade.

Planejar a retirada, prever as condições nas quais só resta a você fechar sua empresa, é um degrau dolorido a ser consumado, sob o risco de você agir de forma emocional, e levar a vaca definitivamente para o brejo, de uma forma tal que pode ficar difícil se reerguer.

A nossa própria cultura insiste e promove a persistência, endeusa os empresários que suplantaram reveses e atingiram o sucesso. A fronteira entre a persistência e a teimosia é muito tênue.

É de Thomas Edson este episódio, que eu cito de memória, podendo não ser estas as palavras exatas:

Uma repórter pergunta como ele se sente sabendo que teve 2.000 insucessos para construir a sua 1º lâmpada elétrica que funcionasse.

Thomas Edson deu esta resposta:- “Eu sinto que obtive um sucesso excepcional através de 2.000 etapas, onde em cada uma eu aprendi um pouco mais.”

Portanto aprenda com cada etapa e evite transformar a persistência em teimosia, o que pode enterrar, pelo tempo de recuperação necessário, o seu sonho.

Leia o nosso Boletim anterior:

VALORES E CRENÇAS: Bússolas Ou Âncoras

A nossa sociedade não enxerga muito bem a desistência, mas você nada deve à sociedade. Você tem que estar focado na realização, agora ou num futuro o mais próximo possível, do seu sonho. 

Os homens, então, os homens são mais avessos à desistência, pois não seria uma atitude do “homem”.

A atitude de homem maduro e consciente é se preservar, sempre, na busca do seu sonho, pois ele é o maior, mais importante e o único instrumento que possui para atingir seu sonho. E isso sempre deve ser preservado..

No seu empreendimento, na sua empresa, na busca da realização do seu sonho, aja consistentemente, planeje cuidadosamente o ponto em que você deve desistir.

Se esse ponto da desistência infelizmente for atingido, apesar de toda a sua determinação, ousadia e boa vontade, desista simplesmente desta tentativa. 

Aprenda com cada tentativa e continue na busca do seu sonho, nas condições planejadas, de forma madura e inteira, financeira e psicologicamente. 

Evite respostas e ações emocionais, encare essa desistência como um dos 2.000 degraus que Thomas Edson, um dos maiores inventores que o mundo conheceu, tão apropriadamente considerou.

Caso você queira mais informações sobre a elaboração ou re-elaboração do seu Plano de Negócio, para que você possa empreender com mais segurança, a Merkatus pode ajudar. 

P ara maiores detalhes, contate-nos ou leia a página PERGUNTAS E RESPOSTAS.

Construa uma ótima semana para você.

Carlos Alberto de Faria

Graduado em Engenharia Eletrônica pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) em 1972 e Pós-Graduado em Marketing de Serviços pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) em 1997. Mais de 40 anos de experiência em Marketing.


Este artigo é uma prática de disseminação de conhecimento adotada pela Merkatus, através do correio eletrônico, de circulação restrita e exclusiva para pessoas, instituições ou empresas que manifestaram o interesse em recebê-lo. Este artigo aborda temas que ajudam as pessoas, as empresas e as instituições a aprimorar: a) a obtenção de mais e melhores clientes certos; b) a conformidade do que produzem ou fazem à demanda do seu mercado; c) a aproximação de interesses convergentes entre a demanda e a oferta, dentro da área de serviços. É nosso intuito promover o desenvolvimento pessoal e aprimorar as relações comerciais do mercado. 

Este artigo pode ser impresso, repassado ou copiado, no todo ou em parte, desde que: 1. mantida a autoria; 2. divulgado o autor; e 3. divulgado o endereço do site www.merkatus.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.