AS ORIGENS DO MARKETING

O nome deste BES também poderia ser: “Olha só como o marketing é velho!

Vamos a ele.

O 1º LOGOTIPO DO MUNDO
Os primeiros logotipos do mundo foram feitos pelas diversas e diferentes igrejas. Elas colocaram esses logotipos, suas cruzes, estrelas e luas, identificando o tipo de crença. Os logotipos das igrejas foram e são tão claros e eficazes, que segmentam o mercado dos crentes: o crente-cliente desta religião, com este logotipo, não entra na igreja com qualquer outro logotipo. Esses logotipos são utilizados ainda hoje, em correntes no pescoço. 
 
O 1º DISPLAY DO MUNDO
Os primeiros displays do mundo foram feitos pelas igrejas, as construções mais altas das edificações dos povoados e vilas, as torres das igrejas. Esses displays mostravam e mostram, desde muito longe, onde se encontra a casa do Senhor, qualquer que seja o Senhor, para anunciar a presença única e dar a direção correta para seus fiéis.
 
O 1º VEÍCULO DE COMUNICAÇÃO DE MASSA
Um dos primeiros, senão o primeiro, veículo de comunicação de massa do mundo foi o sino. Bastava algumas badaladas e os crentes já sabiam que era hora disso ou daquilo, ou se era para dirigir-se à igreja para ouvir notícias importantes.
 
A 1º PESQUISA DE MERCADO
Uma das primeiras manifestações de pesquisa de mercado é o confessionário: durante a semana o pároco ouve os pecados e deslizes do seu rebanho e, no domingo, escolhe o tema do sermão, de acordo com a necessidade de condução do seu rebanho aos caminhos da fé e do Senhor.
 
A EXPRESSÃO CORPORAL
Uma das primeiras manifestações de expressão corporal é dada pelo pároco, com seu gestual calmo e tranqüilo, estudado e aprendido ao longo dos anos de estudo, gestual e postura de voz que transmitem paz e serenidade, compondo um produto digno e perfeito de um representante terreno do Senhor. Esta expressão corporal e postura de voz servem também para diferenciar os representantes terrenos do Senhor, dos outros simples mortais.
 
AS EMBALAGENS
As embalagens servem para diferenciar e anunciar o que há dentro da embalagem. As embalagens foram feitas para dar pompa e circunstância à magnificência do cargo, dentro da liturgia das igrejas. A embalagem do padre é uma, diferenciando-o do cidadão comum. A embalagem do bispo também se diferencia, e assim por diante, a dos cardeais e a do Papa. As embalagens servem tanto para diferenciar o produto, sob a embalagem, e como para determinar o grau dentro da hierarquia e diferenciação dessa representação terrena do Senhor.
 
O 1º ÁUDIO-VISUAL
Um dos primeiros enredos de áudio-visual do mundo – precursor das propagandas de hoje – é a “A Paixão de Cristo”, com suas diversas estações, tanto representadas em vitrais de igrejas por este mundo afora, como representadas por pessoas, na época da Páscoa, centenas de milhares de vezes, por séculos, ao seu público-alvo.A nossa, mais conhecida, se dá em Nova Jerusalém, todo ano.

Os marketeiros aprenderam bem com as religiões e com a história. Continuam aprendendo com a evolução do conhecimento humano.

Eu espero que este artigo seja aproveitado por você, como uma tentativa de eliminar esse falso preconceito para com o marketing. As igrejas, todas as igrejas,
indistintamente, fazem marketing desde há muito tempo, pois os representantes terrenos do Senhor são conhecedores do íntimo do ser humano, e estabeleceram uma forma de comunicação bilateral com seu mercado de fiéis.

O marketing não resolve sozinho os problemas da sociedade, o marketing facilita as trocas que se dão no mercado. E trocas não necessariamente monetárias.

Esta origem do marketing, esta aproximação histórica do marketing não é de minha autoria, muito embora eu a tenha feito de memória. Estes dados foram expostos por um dos DPZ – Dualibi, Petit e Zaragoza(?), salvo traição da minha memória – numa apresentação aos bispos da CNBB, creio que durante os anos de chumbo.

Façamos todos uma ótima semana!

Carlos Alberto de Faria

Graduado em Engenharia Eletrônica pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) em 1972 e Pós-Graduado em Marketing de Serviços pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) em 1997. Mais de 40 anos de experiência em Marketing.


Este artigo é uma prática de disseminação de conhecimento adotada pela Merkatus, através do correio eletrônico, de circulação restrita e exclusiva para pessoas, instituições ou empresas que manifestaram o interesse em recebê-lo. Este artigo aborda temas que ajudam as pessoas, as empresas e as instituições a aprimorar: a) a obtenção de mais e melhores clientes certos; b) a conformidade do que produzem ou fazem à demanda do seu mercado; c) a aproximação de interesses convergentes entre a demanda e a oferta, dentro da área de serviços. É nosso intuito promover o desenvolvimento pessoal e aprimorar as relações comerciais do mercado. 

Este artigo pode ser impresso, repassado ou copiado, no todo ou em parte, desde que: 1. mantida a autoria; 2. divulgado o autor; e 3. divulgado o endereço do site www.merkatus.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.