CARLOS ALBERTO DE FARIA  apresenta:
BOLETIM ELETRÔNICO SEMANAL - BES Para assinar, clique aqui!


ASSERTIVIDADE (II)

Até agora pensávamos que para agir era preciso sentir.
Sabe-se hoje que, se começarmos a agir, o sentimento aparece.
Essa foi para mim a descoberta mais importante do século
 para o desenvolvimento do ser humano.
Willian James,
Psicólogo e filósofo americano


______________________________________________________
Resumo:
O líder, o empreendedor, o empresário, o vendedor, enfim, todas as pessoas que buscam a realização dos seus sonhos, inclusive os sociais e afetivos, terão êxito, muito mais fácil e rápido, com o uso da assertividade.
A realização do seu sonho, independentemente de qual seja ele, passa pela assertividade.

______________________________________________________

Estes nossos Boletins, o de hoje e o da semana retrasada, têm o propósito de ajudar você entender o que é a assertividade, e o que não é assertividade.

Se você quiser saber mais sobre assertividade, já; leia:

Os comportamentos, para os nossos propósitos, podem ser subdivididos em:

- comportamento agressivo;
- comportamento passivo;
- comportamento manipulativo e
- comportamento assertivo.

No Boletim passado vimos as características dos comportamentos agressivos e passivos. Hoje veremos as características dos dois últimos.


COMPORTAMENTO MANIPULATIVO
Você já foi manipulado? Você já manipulou alguém?

Veja se estas frases lhe são familiares:

- "Eu não vou fazer mais nada aqui. Só eu faço, e ninguém se mexe!"

- "Como de costume, eu vou ter que lavar a louça sozinha... E com toda a enxaqueca que eu estou desde esta tarde ..."

Estas frases, ou algo próximo delas, soam familiares para você?

Estas são frases bastante comuns para indução de culpa, junto com uma ameaça, e "preparada" para, no mínimo, ganhar a simpatia dos outros.

Ao invés de pedir honestamente por ajuda, o que seria o esperado, honestamente correto, essa pessoa "trabalha" para fazer com que os outros se sintam mal por ela, a fim de conseguir o que ela quer.

Infelizmente, nos exemplos acima, há manipulação de pessoas, de forma negativa, e as pessoas não vão ajudar porque querem, mas porque elas se sentem mal se não o fizerem.

A maioria de nós usa a culpa, uma vez ou outra. Nós aprendemos pelo exemplo dos nossos pais, professores, nas igrejas, meios de comunicação e a sociedade geral.

O comportamento manipulativo é também conhecido por comportamento passivo-agressivo, pois age de uma forma camuflada, colocando-se como vítima passiva, tentando obter dos outros "algo" que ela quer, sem respeitar o desejo dos outros, por isso agressivamente.

É passivo pois age sorrateiramente, escondendo o que quer, mas tenta obter o que quer desrespeitando os direitos dos outros, por isso agressivo.

O comportamento manipulativo necessita desta explicação acima, pois seu entendimento não é tão divulgado ou conhecido e, na maioria das vezes e para a maioria das pessoas, passa desapercebido.

As pessoas que usam a manipulação acham-se espertas o suficiente para conduzir os outros na direção do atendimento das suas próprias necessidades e desejos, independente da boa vontade e da concordância desses outros, que são usados.

Essa "esperteza" é acompanhada de um sentimento interno de impotência, pois esse comportamento somente surge quando a pessoa não consegue, ela própria, caminhar atrás dos seus sonhos, desejos e interesses.

As pessoas manipuladoras têm também auto-estima baixa. São amargos e querem colocar amargor na vida dos outros, pois a desgraça adora companhia. São também frustrados e desapontados consigo próprios, mas adoram colocar culpa nas costas do outros.

Por outro lado, as pessoas manipuladas sentem-se principalmente confusas e culpadas, pois não percebem, a curto prazo, a razão de estarem fazendo o que não querem.

O que mantém o comportamento manipulativo é basicamente a autoproteção, pois através desse comportamento evita confrontos e rejeições diretas, obtendo influência por curtos períodos de tempo.

Mas os resultados negativos da manipulação não tardam:

- falta de confiança dos outros no manipulador;
- estresse;
- solidão;
- reclamações seguidas dos outros, e
- vitimização, colocand0-se, freqüentemente, como vítima.

A maioria de nós usa a culpa, uma vez ou outra. Nós aprendemos pelo exemplo dos nossos pais, professores, nas igrejas, meios de comunicação e a sociedade em geral.

Até mesmo Gandhi, quando fez greve de fome, estava usando a culpa - e manipulando. Suas intenções eram as mais puras e nobres, mas o caminho escolhido foi essencialmente manipulativo.

Ele queria que as pessoas se sentissem mal, para mudar de atitude; ou seja, manipulação com boas intenções.

Fica aqui a pergunta para todos nós:

- "Por que não sermos honestos conosco e admitirmos abertamente que queremos dinheiro, ajuda, poder ou atenção?"

Eu acredito que se todos nós aprendermos a pedir, honesta e gentilmente, os relacionamentos seriam muito mais harmoniosos e duradouros.

Evitando-se o uso da culpa temos um longo caminho produtivo para obter resultados positivos ao longo da nossa vida, em casa, no trabalho, em nossa vida afetiva e social.



O COMPORTAMENTO ASSERTIVO
O comportamento assertivo tem sua origem na autoestima elevada, e ao mesmo tempo uma pessoa assertiva aumenta a sua autoestima. Ver a frase com a qual iniciamos este texto.

Você, aceitar-se do jeito que você é:

- humano,
- falível,
- humilde,

a ponto de tanto aceitar os seus acertos e celebrá-los, como de reconhecer os seus erros e aprender com eles, lhe confere a calma de receber a vida na medida em que ela chega à sua pessoa, e na mesma medida em que a sua pessoa age proativamente na vida, sem sobressaltos, calmamente, sendo o que você é, nem mais, nem menos, serenamente.

Desta forma, a pessoa com comportamento assertivo é confiante, pois se conhecendo e se aceitando, conhece-se, sabe com quem ele conta, sem ser arrogante.

O comportamento assertivo torna a pessoa transparente, pois suas crenças, princípios, ideais, idéias e opiniões são colocadas de forma clara e objetiva.

As pessoas que tratam com pessoas assertivas sentem-se, primeiramente, valorizadas e respeitadas, suas opiniões são escutadas e levadas em conta. Como o interlocutor assertivo é claro e objetivo, sempre se sente esclarecido do que o outro lado pensa e quer.

As recompensas das pessoas assertivas são várias:

- a autoestima, que dá origem à assertividade, é reforçada pela assertividade, num ciclo positivo;

- desenvolve e mantêm relações interpessoais honestas e translúcidas;

- aproveita as oportunidades, sem medo, mas com o cuidado que a vida merece;

- obtêm mais e melhores resultados, pois sendo uma pessoa clara e transparente, compartilha seus objetivos e os outros ajudam e apóiam a consecução desses objetivos; e

- obtêm maior confiança dos que o cercam, o que é base e princípio da liderança.

Leia o artigo:

Enfim, a pessoa com comportamentos assertivos:

- busca e alcança resultados,

- constrói os seus sonhos,

- estabelece relações sólidas calcadas no respeito mútuo, e

- aumenta a sua autoestima, que aumenta a sua assertividade, que aumenta a sua autoestima...

num ciclo positivo onde todos ganham.

A assertividade é essencial para que qualquer ser humano persiga os seus objetivos.

Dá para imaginar um empregado sem usar assertividade?

Um vendedor?

Um líder?

Um empreendedor?

Um empresário de sucesso?

Com assertividade a produtividade da sua empresa cresce.

A sua empresa tem dificuldades de criar e reforçar os comportamentos e atitudes assertivos que a conduzem mais rápido à produtividade, à melhoria continua e ao caminho do sucesso?

Se a resposta for sim, lembre-se: aprenda e divulgue as técnicas assertivas dentro e fora da sua empresa. Lembre-se do curso que a Merkatus tem sobre o assunto, que pode ser visto na página inicial deste sítio.

O que a frase, com que iniciamos este artigo, tem a ver com assertividade? A resposta também estará no curso de amanhã.

Se você não puder participar amanhã do curso, a Merkatus pode ajudá-lo em outro momento.

Contate-nos ou leia a página PERGUNTAS E RESPOSTAS para maiores informações sobre nossos serviços:

calfaria@merkatus.com.br ou
0 XX 47 3369-2465 ou
MSN: cafaria@merkatus.com.br

Construa uma semana excelente.

Carlos Alberto de Faria
Merkatus - Ajudando nossos clientes a atrair clientes.

Merkatus ONLINE - Resolvendo os seus problemas.

_________________________
Nós teremos o prazer de atendê-lo, caso você queira saber mais sobre estas e outras estratégias de marketing de serviços, ou ainda comentar algum aspecto deste Boletim Eletrônico Semanal. Não hesite em contatar-nos:

Merkatus - Ajudando nossos clientes a atrair clientes

contato@merkatus.com.br ou

047 3369-2465

Se você quiser assinar GRATUITAMENTE este Boletim Eletrônico Semanal, cadastre-se aqui:

http://www.merkatus.com.br/10_boletim/index.htm . Nesta mesma página podem ser encontrados os Boletins Semanais anteriores.

Caso queira cancelar o recebimento deste Boletim Eletrônico Semanal basta nos enviar um "E-MAIL" para contato@merkatus.com.br preenchendo o campo "ASSUNTO" OU "SUBJECT" com a palavra DESCADASTRAR.
______________________

Este Boletim Eletrônico Semanal é uma prática de disseminação de conhecimento adotada pela Merkatus, através do correio eletrônico, de circulação restrita e exclusiva para pessoas, instituições ou empresas que manifestaram o interesse em recebê-lo. Este Boletim Eletrônico Semanal aborda temas que ajudam as pessoas, as empresas e as instituições a aprimorar: a obtenção de mais e melhores clientes certos, a conformidade do que produzem ou fazem à demanda do seu mercado, a aproximação de interesses convergentes entre a demanda e a oferta, dentro da área de serviços. É nosso intuito promover o desenvolvimento pessoal e aprimorar as relações comerciais do mercado.
.Este Boletim Eletrônico Semanal pode ser impresso, repassado ou copiado, no todo ou em parte, para fins não comerciais, desde que
1º - mantida a autoria;
2º - divulgado o autor e
3º - divulgado o endereço do "site"  http://www.merkatus.com.br.

© Copyright 2008, Carlos Alberto de Faria, Merkatus
Este "site" foi desenvolvido pela Merkatus.